sexta-feira, 28 de agosto de 2009

Roberto Hirao, um exemplo de jornalista

Por Miguel Arcanjo Prado


Um dos meus grandes orgulhos nessa carreira chamada jornalismo, na qual estou há seis anos, é ter trabalhado na mesma redação que Roberto Hirao, em meus oito meses no jornal Agora São Paulo, do Grupo Folha, entre outubro de 2008 e junho de 2009.

Tenho uma baita satisfação em dizer que tomei vários cafés com o Hirao na cantina do 10º andar do famigerado prédio da Folha de S.Paulo, na alameda Barão de Limeira, e que fui um dos privilegiados em conferir as primeiras provas do livro “70 Lições de Jornalismo” (Publifolha, 216 pgs., R$ 29,90), que ele lança neste sábado, às 11h, na Livraria Cultura do Conjunto Nacional, em São Paulo.

O livro é bem simples e direto. Traz 70 colunas que Hirao publicou na Folha da Tarde, nos tempos em que foi ombudsman da publicação já extinta. Cada observação é mais do que preciosa. É um verdadeiro tratado sobre o jornalismo diário, sobre a verdade que cada repórter, editor e redator deve buscar para seu leitor.

O livro do Hirao não deixa de ser também testemunha de uma época importante de nosso país. Ele fala de Collor, de obras públicas na cidade e até do tetracampeonato da nossa seleção canarinho, na Copa de 94. Hirao é sábio na simplicidade de seu texto. Como ele é no dia a dia, coisa que muitos bons jornalistas desse país puderam conferir de perto. Como eu fiz.

Ah, para quem está por fora de quem é Roberto Hirao, aí vão algumas informações básicas: ele começou a carreira no extinto Última Hora. Em 1973, assumiu a editoria de cidades da Folha de S.Paulo. Na Folha da Tarde, foi editor e ombudsman. Atualmente, dá expediente diário como editor da primeira página do jornal Agora São Paulo.

domingo, 2 de agosto de 2009

O pulo das grávidas


Ivete Sangalo, neste sábado à noite, no especial "Uma Hora de Sucesso", no SBT, definiu sua forma física gravidíssima: "Agora eu sou a Ivete Pão de Queijo". Falou e disse. Vamos combinar uma coisa: grávida não tem que se preocupar tanto com o corpo. Vamos deixar a musa baiana ser feliz com seu bebê na barriga. Em tempo: com fôlego impressionante, Ivete pulou tanto quanto Claudia Leitte, que gravou o mesmo programa, também grávida, em 2008. Como me disse na época Claudinha: "Gravidez não é doença!". Foi-se o tempo. Então ficamos assim, bem democráticos: sucesso para as duas! Porque tem espaço pra todo mundo neste mundo. Ah, as fotos são do meu amigo Roberto Nemanis, fotógrafo dos bons da equipe do SBT.

Estômago


Por insistência de minha amiga Gabriela Quintela, vi, em DVD, o longa brasileiro "Estômago" (foto). Adorei. Ótimos atores, com destaque para o protagonista, João Miguel, roteiro amarradíssimo, bem humorado, enfim, um grande filme. Arrependi de não ter ido ver no cinema. Se você ainda não viu, corra na locadora e leve para casa sem culpa!