segunda-feira, 26 de janeiro de 2009

Domingo de ensaio na Marquês Sapucaí

A noite de domingo (25) surge quente no Rio. O povo ruma à Marquês de Sapucaí. Chego pouco antes de a Mangueira entrar na avenida. A escola dedica o ensaio à Tia Doca, da Portela, morta horas antes, de infarto. Alcione faz as vezes de anfitriã, junto com Rosemary. A Marrom conta que a escola vem homenageando Jamelão, morto no ano passado. "Ele é a voz do samba, que é a voz da Mangueira", ela me diz. Luizito também presta reverência. "Jamelão sempre estará com a Mangueira", fala.

Mas os flashes são todos para Gracyanne Barbosa, a exuberante rainha da bateria da agremiação que homenageia o povo brasileiro. Educada, fala comigo: "Ainda tenho muito aprender". E mostra porque conquistou o posto: "Não falto em ensaio por nada".

E a escola entra bonita na Sapucái, arrepia e emociona. Muitos choram e se arrepiam.



Gracyanne Barbosa samba em frente à bateria da Mangueira


Depois vem a Viradouro. Perfeitamente coreografada. A bateria, que traz atabaques como charme, reverencia a arquibancada 1. O povo vai ao delírio. A escola surge mais jovem e inovadora e mostra que está na disputa, com seu enredo sobre a Bahia. Atraindo os olhares dos fotógrafos, duas beldades, cheias de estripulias além do samba.



Nana Gouvêa se joga na avenida




As generosas formas de Juliane Almeida, rainha da bateria da Viradouro


Leia também outra visão do fim de semana carioca, por Gabi.

Fotos: Isac Luz/Globo.com

Um comentário: