sexta-feira, 27 de fevereiro de 2009

Coluna do Miguel Arcanjo nº 153

Notas carnavalescas

Por Miguel Arcanjo Prado*

O Carnaval se foi, deixando cores, gostos, cheiros e sons ainda impregnados. Aventurei-me por duas festas. Primeiro a do Anhembi, no desfile das escolas paulistanas, na sexta e sábado. Depois, me piquei para Salvador da Bahia, mundo dos blocos e afoxés, onde fiquei até a triste Quarta-Feira de Cinzas --não para os baianos, é claro. Então, vamos às notas carnavalescas.



Rainhas
No sambódromo do Anhembi, preocupação dos fotógrafos a postos tem nome: a rainha da bateria. Nada mais importa: alas, baianas, carros. As rainhas e seus corpos fenomenais são fundamentais. Meu amigo João Batista Jr., repórter da Vejinha, definiu bem o porquê disso: o Carnaval consegue deixar essas moças ainda mais bonitas e exuberantes. E, ao vê-las de perto, constatei o óbvio: não é que é mesmo?



Ovos
Ao chegar no Anhembi, Adriana Bombom logo exibiu seu corpo de cair o queixo. E deu a explicação de sempre: "Comi 70 ovos em dois dias". Haja estômago.

Bunda não pode
A irmã e assessora de Sabrina Sato sofreu na concentração para proteger o bumbum da apresentadora do "Pânico". É que os rapazes da Gaviões usavam os celulares para tirar foto da comissão de trás da moça. Pode?

Sonho de Carla
No camarote Contigo Daniela Mercury, no circuito Barra-Ondina, em Salvador, Carla Perez era só simpatia. Ria à beça e tirava fotos com quem fosse. A moça cobriu a festa baiana para a Rede TV! e até se saiu bem, ao contrário da apresentadora da emissora Daniela Albuquerque --mulher do dono-- que mostrou ser a pior apresentadora do Brasil. Carla me contou que quer montar uma peça infantil. Viu "O Poeta e as Andorinhas", produzida por Cintia Abravanel --a filha nº 1 de Silvio Santos-- e falou: "Quero fazer uma igual". Para quem já está com a língua a postos para falar mal dela, Carlinha avisa. "Sou atriz formada". E é mesmo. Ela fez a Oficina de Atores Nilton Travesso.



Aposentadoria
Já Gilberto Gil me disse, na entrada do camarote Expresso 2222, capitaneado por sua mulher, Flora, e por sua filha Preta, que não quer saber mais de trio elétrico. "Já estou velho", falou. Respondi de pronto. "Tá velho nada, Gil". Ele: "Tô, sim. Não aguento mais, prefiro ficar mais calminho". Este ano Gil desfilou no bloco de afoxé Filhos de Gandhy, que completou 60 anos. Ele ainda estava vestido com a vestimenta azul e branca, quando conversamos, no começo da noite de domingo de Carnaval. “É muito bom curtir assim, mais relaxado, mais tranquilo. Comecei a fazer trio velho, com 55 anos, por ideia da minha mulher, a Flora. Fiz dez anos, mas quis parar neste ano, porque já estou velho para trio. Você já viu como é? É uma coisa doida, você fica cantando oito horas lá em cima”, disse o cantor, abrindo o sorrisão. Morador do Rio, Gil fez questão ainda de declarar o amor à Bahia. “No Caranaval, é hora de voltar à casa, ao dendê, ao pôr-do-sol no Porto da Bara”, disse, antes de beijar Flora na boca

Semideus
Com o abadá azul e branco dos Filhos de Gandhy, o ator Alexandre Barilari andava todo prosa por Salvador. “Estou me sentindo um semideus”. Modesto, não?

Revolta
Dilma Roussef, a ministra-candidata, não foi a Salvador no Carnaval e comprou a mágoa do prefeito, João Henrique (PMDB), e no governador da Bahia, Jaques Wagner (PT). Ao trombar com João Henrique no domingo, ele me confidenciou estar ainda esperançoso da visita. “Ela foi ao Recife, queríamos ela aqui também”, disse. Ele já até planejava pedir ajuda da candidata de Lula para a conclusão das obras do metrô soteropolitano. "Só faltam 3% da verba", afirmou.

Matriarca
A promoter Licia Fábio, dona de meia Bahia e responsável pelo camarote Contigo Daniela Mercury, foi uma das figuras mais reverenciadas no Carnaval. Cada trio que passou pelo espaço parou para seu cantor pedir sua bênção. Sentada em um sofá branco, posicionado debaixo de um ventilador, Licia tinha aos pés o publicitário Nizan Guanaes --responsável pela conta do Carnaval de Salvador--, a quem fazia cafuné na cabeça.



Atrevida
Vestida de deusa africana --ou a tal guerreira do axé, como se definiu--, Ivete Sangalo berrou, do alto do trio, no Campo Grande, ao ver o prefeito de Salvador, João Henrique (PMDB), na terça de Carnaval: “Eu gosto de você todo suado”. O político ficou sem graça. Ela não se deu por satisfeita e não poupou a primeira dama soteropolitana, Maria Luiza Barradas. “Jogou luzes no cabelo, foi? É por isso que o prefeito está de laranja, para combinar”, finalizou, animadíssima.



Cadê?
Na segunda de Carnaval, Daniela Mercury --chamada por Ivete e Claudia Leitte de eterna rainha da festa baiana-- homenageou a tropicália, em seu trio apinhado de bailarinos e com participação de Paula Lima --um tanto quanto apagadinha. Em frente ao camarote Expresso 2222, ela chamou por Gilberto Gil e Caetano Veloso. Ao ver que nenhum deles aparecia na sacada, se decepcionou. “Eu liguei o dia inteiro para eles falando que faria essa homenagem”, disparou, revoltada, antes de tocar “Tropicália”, o hino-manifesto composto por Caetano. Quando a música já havia terminado, eis que Gilberto Gil surge na sacada e, humilde que só, pede desculpas pela ausência no momento fatídico. Daniela implora para que a prefeitura a deixe ficar com o trio parado por mais um tempo --os trios precisam seguir um cronograma de desfile, senão são multados--, para poder fazer dueto com o ex-ministro. Atendida, cantou com ele “Vamos Fugir”. Gil se empolgou e emendou “Madalena”. Daniela deu-se por satisfeita e deixou o trio seguir em frente.



Grito do trio
Claudia Leitte foi a responsável pelo momento feliz no Carnaval baiano. Estava eu lá na varanda do Expresso 2222, o camarote do Gil, quando ela passou com seu trio conduzindo o Bloco da Barra. Ao me ver no meio do povo, gritou: "Miguel, meu Arcanjo lindo! Te amo, viu?". Na hora, fiquei lisongeado e o coração bateu mais forte. E olha que não sou dado a esse tipo de emoção. Mas quem já ouviu algo assim de uma cantora no alto de um trio vai entender que não sou piegas. Claro que respondi de pronto: "Eu também, Claudinha".


*Miguel Arcanjo Prado é jornalista e precisa dormir urgentemente.


Fotos: Iwi Onodoera, Alessandra Gerzoschkowitz, Eduardo Freire e Sandra Lopes/Ego/Globo.com

8 comentários:

Anônimo disse...

Êeeeeee, Miguel! Até a Cláudia Leite te reconhece no meio da multidão? Tá chic mesmo, hein, rapaz? Merecidíssimo.

Durma!
Cris Lima

Anônimo disse...

ADOREI A COLUNA! APANHADÃO GERAL E FECHAMENTO COM CHAVE DE OURO, DEIXANDO QUALQUER UM MORREEENDO DE INVEJA. NÃO É PRA QUALQUER OUVIR UM CHAMADO DE CLÁUDIA LEITE DE CIMA DE UM TRIO. NEM BATER UM PAPO SINGELO COM GIL.

VC É TUUUUUDO. BJS E PARABÉNS PELA COBERTURA!!!

INGRID

Anônimo disse...

Meu amigo está influente demais, sô!

Eta, coisa boa!

Abração e saudades, Miguelitos!

Maurice.

Moises Prado disse...

Beleza, alegria, falcidades, trapalhadas, aventuras, diversidades, surpresas, e muita emoçao! Esse é o Carnaval nos nossos diversos "países brasileiros"!!
Bela materia primo!!

Brigadao pelos elogios ao meu texto! q bom q tu gostou!!
valeu!

Passa la de novo, tem texto saindo do forno!! "Robôs ou humanos?", e tem a ver com jornalismo, quero saber o q pensa!!

http://moisesprado.blogspot.com/

te+ abraçao

Moises Prado disse...

ta podendo, hein primo?!
q moral com a Claudia Leite!!!
rsrsrs...

o foda é q a gente nunca sabe se é falcidade ou nao vindo desse pessoal famoso ne?...
eles fazem de tudo pra aparecer e "puxar saco" é especialidade da maioria deles, ne mesmo?!
kkkkkkkkkkkk...

abraço

Gui Sillva disse...

poderia haver uns três carnavais por ano, para a rainhas de bateria só fazerem isso da vida... ha ha ha

Pedrita disse...

eu aproveitei pra descansar no carnaval. beijos, pedrita

João Batista Jr. disse...

Haja exuberância!!!
Até o próximo Carnaval.
Abs, João